“Tráfico” Uma tragédia obscena

“Tráfico” - Uma tragédia obscena- Uma mulher obscura, Medeia, dirige um Hotel singular. No Hotel Balneário Olimpo oferecem-se curas de stress a traficantes necessitados de descanso e repouso. Na realidade, o negócio esconde um propósito mais maquiavélico do que a satisfação das necessidades terapêuticas do crime organizado: a vingança, traçada com paixão pela protagonista, contra aqueles que a traíram. Num mundo corrompido pelo poder e pelo dinheiro, traficantes de toda a espécie pululam entre nós. De todo o tipo, de todas as coisas, de muita gente. Com o pano de fundo da crise e da deriva do capitalismo, “Tráfico” serve-se do humor negro para uma leitura satírica da atualidade mundial (a que Portugal não é alheio), tomando por referência irónica a “Medeia”, de “Eurípedes”. Uma comédia trágica, crua e obscena, onde o sangue flui sem contenção.

“Tráfico” Coprodução AL Teatro e Baal17

Texto _ Carlos Santiago Encenação e dramaturgia _ Chiqui Pereira Interpretação_ Ana Bárbara Soares, Filipe Gonçalves, Filipe Seixas, Pedro Ramos e Rui Ramos Cenografia e figurinos _ Bruno Guerra Desenho de Luz _ Nuno Borda d’Água Música _ Tango Paris Fotografia _ Baal 17, José Ferrolho e Rui Cambraia Design gráfico _ Ana Rodrigues/Workhouse Vídeo _ VídeoPlanos - Produções Audiovisuais Direção de produção _ Sandra Serra Gestão _ Rui Ramos e Pedro Ramos Produção executiva_ Hugo Fernandes Construção de cenário _ Ana Rodrigues e Ivan Castro Classificação _ M / 16 anos Duração _ 90 minutos


OS 3 ÉRRES

Em Portugal diariamente, cada pessoa produz em média 1,2kg de lixo.
A Rita e o Jonas não são exceção. No dia a dia, sem se aperceberem, deixam também uma marca negra no nosso planeta azul. Mas será que tem de ser sempre assim?
Não poderão eles, de uma forma divertida e descomplicada, reduzir a quantidade de lixo que produzem, reutilizar o material que já não precisam ou mesmo transforma-lo e dar-lhe uma nova função?
É o que eles vão descobrir, num espetáculo em que o lixo é o ponto de partida para dar largas à imaginação e a reciclagem o caminho para um mundo melhor, menos negro e mais verde.

Este espetáculo com uma estética clownesca e com pouco recurso à palavra, levará o público a descobrir de uma forma divertida e descomplicada que o lixo é o ponto de partida para dar largas à imaginação e a reciclagem o caminho para um mundo melhor. Destina-se sobretudo ao público infantil no entanto, e como em qualquer espetáculo para a infância, este é também um espetáculo sem idade, onde todos podemos por momentos voltar a ser crianças.

25ª produção AL Teatro

Criação Coletiva
Direção_ Pedro Ramos
Interpretação_ Ana Bárbara Soares e Filipe Gonçalves
Dramaturgia, adereços, figurinos e luz_ Coletivo
Voz off e operação técnica_ Pedro Ramos
Sonoplastia_ Filipe Gonçalves
Produção e fotografia_ Hugo Fernandes
Design gráfico_ Verónica Guerreiro

Vídeo_ Nuno Fernandes / Higher Visuals


Duração: 42 minutos

Classificação: M/3

SABINA

D. Maria, dona da maior fortuna do Algarve, conservadora e somítica, vê o seu único filho casar com uma estrangeira, a livre e progressista Sabina. O atrito entre elas é inevitável e pode ter graves consequências. Vinda das grandes metrópoles, Sabina estranha alguns hábitos e formas de estar, de ver o mundo, sobretudo os da sua sogra e do seu séquito de seguidores. O confronto é iminente, a luta do antigo contra o recente, novamente, a explosão latente.


“Sabina” é uma comédia satírica, repleta de situações cheias de crítica e humor. Adaptação para o séc. XXI da única obra teatral do escritor algarvio e ex-Presidente da República, Manuel Teixeira Gomes, que nos apresenta, sem pudor, com humor e ironia, algumas características, hábitos e costumes bem portugueses.

24ª produção AL Teatro

Adaptação de “Sabina Freire” de Manuel Teixeira Gomes
Dramaturgia e Encenação_ Pedro Ramos
Interpretação_ Ana Bárbara Soares, André Cabrita, Filipe Gonçalves, Jorge Freitas, Lisete Martins, Miguel Telmo, Neuza Correia e Pedro Ramos
Figurinos_ Miguel Morazzo
Cenografia_ Pedro Ramos e Tó Quintas
Sonoplastia_ Coletivo e Susana Nunes
Costura_ Atelier Maria Gonzaga
Produção, Fotografia e Operação técnica_ Hugo Fernandes
Fotografia do cartaz_ Paulo Tomé
Design gráfico_ Verónica Guerreiro
Video_ Nuno Fernandes

Classificação: M/12

Duração: 80 minutos