Crisíadas - para pior antes assim

Crisíadas - para pior antes assim

Portugal viveu uma época áurea e gloriosa quando criou a primeira aldeia global e a primeira world wide web comercial e de conhecimento. Por isso Camões resolveu descrever essa grande epopeia portuguesa n’ Os Lusíadas.

Mas, excetuando esse período, Portugal tem vivido, quase ininterruptamente desde a sua criação, num recorrente estado de crise social, política e económica. Bastante agravado neste início de séc. XXI. Por isso resolvemos descrever esta grandessíssima epopeia portuguesa atual nas Crisíadas.

Crisíadas é uma espécie de Café-teatro Cómico Cabareteiro com Canções, cheio de Crítica, social e política, concebido em Criação Coletiva.

Falamos de nós, dos nossos costumes e características, da nossa autocomiseração e saudade, do eterno sebastianismo e do desenrasca, dos nossos sonhos e esperança na mudança, da nossa cultura do sul, do sol, do calor, da festa.

Ah! E afirmamos – Para pior antes assim!?
Será?

Crisíadas - para pior antes assim

23ª produção alteatro

Criação Coletiva
Dramaturgia e Direção: Pedro Ramos
Interpretação: André Pedro Roussel, Pedro Ramos, Telma Saião
Participação Especial: Ana Carrasco, Fátima Mestre, Helena Ávila, Manuel João Saião, Rita Tubal Afonso, Rui Ramos, Samuel Saião, Susana Romão
Luz, Som e Operação Técnica: Paulo Troncão
Videoplastia: Pedro Frazão
Coreografia: Susana Romão
Dispositivo Cénico, Adereços, Figurinos, Luz, Som, Fotografia, Cartaz Coletivo, com apoio de Ana Carrasco, Ana Marta Piroleira
Agradecimentos: Sandra Serra, Sara Romão
Apoios Direção Regional de Cultura do Algarve, BAAL17, Pompom Associação

M/ 12 anos
70 min. aprox.
Entrada livre


A Viagem à Casa dos Avós

A Viagem à Casa dos Avós é um espetáculo para a infância com marionetas de sombra e atores. Conta-nos as aventuras e desventuras de algumas crianças que, como todas as outras, são peões, andam de bicicleta, de autocarro e de automóvel. Tudo começa com o João e a Ana a saírem da escola no fim das aulas e o seu caminho, primeiro de autocarro e depois a pé, para casa. Assim que chegam a casa vão brincar, andam de bicicleta e a jogam à bola (perto da estrada!?). Depois, o João vai com os seus pais, de carro, para a casa dos avós. Nestes percursos e brincadeiras acontecerão muitos percalços e as diversas aventuras vividas pelos nossos amigos irão mostrar a importância das decisões e atitudes dos peões e automobilistas para a segurança e para o bem-estar de todos nós. Por fim, chegam à casa dos avós, que os esperam com um ótimo bolinho.
Como é na infância que se começam a enraizar hábitos, gostos e comportamentos, este espetáculo pretende, fomentando nas crianças o gosto pelo teatro e proporcionando-lhes o prazer da descoberta, dar-lhes a conhecer regras, comportamentos, hábitos de conduta e atitudes críticas que possam contribuir efetivamente para que peões e futuros condutores sejam mais cuidadosos e responsáveis.

A Viagem à Casa dos Avós

22ª Produção AL Teatro - Criação Coletiva
Direção | Pedro Ramos
Interpretação | Fábio Moreira e Vânia Silva
Cenografia, Figurinos e Marionetas | Bruno Guerra
Colaboração e Agradecimentos | Ana Marta Piroleira, André Espada, André Pedro Roussel, Bruno Martins, Carla Magalhães, Francisco Pepe Jorge, Inês Barros, Mafalda Oliveira, Paulo Troncão, Susana Nunes, Tela Leão, Tiago Moreira, Zeca Galamba e BAAL 17
Financiamento | ANSR – Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária / Ministério da Administração Interna e Instituto de Seguros de Portugal