No limite da dor // Lendias d'encantar

Um espetáculo, que já percorreu palcos nacionais e internacionais, em que os atores se desdobram em diferentes personagens para nos contarem a experiencia vivida por vários portugueses nas mãos da PIDE durante a época do estado novo. “No limite da dor” pretende ser uma reflexão sobre a resistência, o medo, a dor, mas também a dignidade do ser humano, num dos períodos negros da história recente de Portugal.

Duração: 60 min
M/12
Donativo livre

Para mais informações e reservas, o AL Teatro pode ser contactado através do e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou do telefone 282101050.

Sobre AL Teatro

  

Dra. Ricágua vai ao Teatro

Quando uma cientista muito séria e uma assistente distraída se juntam para mostrar a importância da água na nossa vida, tudo pode acontecer. Está montado o cenário perfeito para uma experiência teatral divertida, onde de uma forma lúdica e sensorial se fala sobre a água, um bem indispensável ao mundo e à vida.

Dra. Ricágua vai ao Teatro, é o mais recente espetáculo da Krisálida (associação cultural do minho), é para maiores de 3 anos, e estará em cena dia 12 de fevereiro (no Teatro Mascarenhas Gregório) em sessão dupla: às 11h e às 16h.

informações e reservas: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. |282101050.

E agora… ALa que se faz Teatro!

  

“ñaque, ou sobre piolhos e atores”

“ÑAQUE, ou sobre piolhos e atores” pelo Cendrev – Centro Dramático de Évora
24 e 25 de junho * Teatro Mascarenhas Gregório, Silves * 22h * Donativo Livre

"ÑAQUE , ou sobre piolhos e atores" de José Sanchis Sinisterra

ÑAQUE foi escrito em 1980, Espanha encontrava-se num processo político que ficou conhecido por “La transición” que conduziu o país da ditadura franquista ao sistema democrático.
“ÑAQUE, ou sobre piolhos e actores”, versão americana de José Sanchis Sinisterra é uma obra divertida que gira em torno da temática da condição do actor, da sua posição na sociedade e desenvolve-se numa relação que este vai construindo com o público. O público inter-relaciona-se com os actores forma parte do espectáculo, a parte primordial para que existam as representações teatrais. O público que, desde o seu lugar, escuta e espera divertir-se com a representação.
Arrastando uma velha arca que guarda todo o aparato teatral, Rios e Solano chegam ao “aqui” e “agora” da representação, procedentes de um longo vagabundear através do espaço e do tempo. Hão-de apresentar perante o público um tosco espectáculo, mas o cansaço, as dúvidas e os temores atrasam, interrompem uma e outra vez a atuação, num diálogo deliberado que os aparenta a Vladimiro e Estragón, os ambíguos clowns de Samuel Beckett.

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA:
Autor: José Sanchis Sinisterra
Tradução: José Carlos González
Interpretação e Encenação: José Russo e Jorge Baião
Cenografia e Guarda-roupa: Helena Calvet
Desenho Musical: Domingos Galésio
Iluminação: António Rebocho
Construção: Tomé Baixinho e Paulo Carocho
Secretariado: Ana Duarte
Produção: Cláudia Silvano
Fotografia: Paulo Nuno Silva
Comunicação: Alexandra Mariano e José Neto
Design Gráfico: Milideias, Comunicação Visual, Lda

Classificação etária: M/12 * Duração: 65 min

+ Info e Reservas:
E-mail_ Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. * Tfl_ 282101050

noites alteatro
Produção_ AL Teatro – Teatro do Arade, Associação Cultural
Estrutura Financiada por_ Ministério da Cultura / DGArtes – Direção Geral das Artes e Câmara Municipal de Silves